William Burroughs, armado e perigoso

Que era perigoso, todo mundo sabe: em 1951, o futuro autor de Junky Almoço Nu matou acidentalmente sua mulher, Joan Vollmer, com um tiro durante uma brincadeira de tiro ao alvo. Ele afirmaria, mais tarde, que a tragédia mudaria dramaticamente sua relação com a literatura. Mas armado ele nunca deixou de estar, como mostra a galeria de fotos acima.

Clique em “FS” para ver em tela cheia.

Hexabook

book-1

Impresso na Alemanha no século 16, este livro devocional pertencente à Biblioteca Nacional da Suécia é uma engenhoca notável: com fechos independentes, ele reúne seis textos que podem ser lidos de maneira independente – basta saber onde abrir. Parece coisa de Guilherme de Baskerville.

[Via Colossal]

Laranja Mecânica para Nintendo

O povo do CineFix fez essa versão de Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick, como se fosse um game Nintendo de 8 bits. São reincidentes à beça: o canal desses caras no YouTube já conta com versões de O Grande Lebowski, O Iluminado, Pulp Fiction Blade Runner, entre outros. À guisa de defesa, podem argumentar que outros andaram fazendo dessas coisas antes, como já publicado aqui, por exemplo.

[Via Laughing Squid]

Quem é que se entende?

Dois velhos conhecidos deste blog se conversam — e talvez se entendam. Acima, Elizabeth Taylor (sempre espetacular) e Richard Burton no comecinho de Quem Tem Medo de Virginia Woolf? (1966), filme de Mike Nichols adaptado da peça de Edward Albee; abaixo, o judeu sefardita-búlgaro-inglês-suíço Elias Canetti em Karl Kraus, Escola de Resistência, texto que está no volume de ensaios A Consciência das Palavras (Companhia de Bolso, 328 págs., R$ 25).

Graças a Karl Kraus comecei a compreender que cada indivíduo  tem uma configuração linguística própria, que o distingue de todos os demais. Compreendi que embora os homens falem uns com os outros, não se entendem; que suas palavras são golpes que ricocheteiam nas palavras dos outros; que não existe ilusão maior do que a opinião de que a língua é um meio de comunicação entre humanos. Fala-se com a outra pessoa, mas de uma maneira que ela não entende. Continua-se a falar, e ela entende ainda menos. Um grita, o outro grita também: a exclamação, que tem uma vida miserável na gramática, apodera-se da língua. Como bolas, as exclamações saltam para lá e para cá, chocam-se e caem no chão. Raramente algo do que se diz consegue-se infiltrar no outro; e, quando isso afinal acontece, é entendido às avessas.”

(Publicado em 18/11/2011)

Dino Buzzati, desenhos e pinturas

Buzzati

[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_i-ronfioni-1970.jpg]1000I Ronfioni / 1970
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_il-delitto-di-via-calumi-1962.jpg]830Il Delitto di Via Calumi / 1962
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_la-giacca-1967.jpg]670La Giacca / 1967
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_la-parete-1958.jpg]650La Parete / 1958
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_la-ragazza-che-precipita-1962.jpg]610La Ragazza che Precipita / 1962
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_la-vampira-1964.jpg]520La Vampira / 1964
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_noites.png]620ilustracao de 1926, capa de edicao de 1983 para As Noites Dificeis
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_orsi-in-sicilia.jpg]520Ilustração A Famosa Invasão dos Ursos à Sicília
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_piazza-del-duomo-di-milano-1958.jpg]500Piazza del Duommo di Milano / 1958
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_poem-strip-1969.jpg]500Desenho de Poema em Quadrinhos / 1969
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_poem-strip1969.jpg]500Desenho de Poema em Quadrinhos / 1969
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_i-misteri-dei-condomini-1965_0.jpg]480I Misteri del Condomini / 1965
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_gli-apriranno1958.jpg]450Gli Aprianno / 1958
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_babau.jpg]430Il Babau /1970
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_prova-dautore.jpg]400Prova d'ature / 1970
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_ritratto-califfo-mash-er-rum-e-le-sue-20-mogli.jpg]420Ritratto Califfo Mash er Rum e Le Sue 20 Mogli
[img src=http://www.almirdefreitas.com.br/blog/wp-content/flagallery/buzzati/thumbs/thumbs_thesiren-1984.png]440Ilustração para capa de A Sirene

Anos atrás, publiquei um texto sobre a obra de Dino Buzzati em que citava, logo no começo, as pinturas e desenhos da lavra do escritor. E acabou que — com a criação deste blog depois — fiquei devendo mais imagens além das que ilustravam a matéria na época e não aparecem hoje no site. Saldo a dívida na galeria acima, que inclui imagens que ilustraram capas de livros de Buzzati, outras do infanto-juvenil A Famosa Invasão dos Ursos na Sicília (Berlendis & Vertecch, 160 págs., R$ 51) e do Poema em Quadrinhos (Cosac Naify, 224 págs., R$ 44), lançado por aqui no passado. Mas há também desenhos pop e quadros difíceis de achar por aí.

Como sempre, clique em”FS” para ver em tela cheia e em “I” para ler a legenda, quando houver.

(Publicado em 16/11/2011)