Calvin, Thoreau e a vida simples

A referência é ao proto-hippie Walden, de Henry David Thoreau, autor que um belo dia decidiu ir viver um par de anos isolado numa cabana perto do lago que dá título ao livro, em Massachusetts. Abaixo, um trecho na tradução de Denise Bottmann para a edição da L&PM (336 págs., R$ 19). (…) Vivemos mesquinhamente, como formigas, embora conte a fábula que fomos transformados em homens muito tempo atrás; como pigmeus lutamos com grous; é erro sobre erro, remendo sobre remendo; e nossa melhor virtude tem como causa uma miséria supérflua e desnecessária. Nossa vida se perde no detalhe. Leia mais …

Calvin e Hobbes no mundo real

Para quem ainda não viu: o americano Michael Den Beste (mais conhecido como Nite4awk no Reddit) está tocando essa série de wallpapers – uma ideia simples de tudo, mas que está fazendo um sucesso danado. Pudera: Calvin e Hobbes não são apenas jogados no mundo real – eles parecem torná-lo  muito melhor do que ele, de fato, é. Puro Bill Watterson. Clique em “FS’para ver em tela cheia. [Via My Modern Met]

Calvin, a Universidade e o Princípio Pedro Pipa

Fazia uns meses que eu estava pensando de publicar essa tira — clássica — do Calvin. Sempre me lembrava de um antigo texto de Robert Darnton, chamado Publicação: Uma Estratégia de Sobrevivência para Autores Acadêmicos, no livro O Beijo de Lamourette (Companhia de Bolso, 400 págs., R$ 29). O nome  do texto já é uma gozação com a mania acadêmica de fazer títulos com aliterações e dois pontos — Calvin chega perto dessa fórmula. O historiador, ex-membro do conselho da editora universitária de Princeton, se diverte apontando o predomínio do p nos títulos e a Leia mais …