Adjetivos estrada afora

Esse infográfico heterodoxo indica a incidência de adjetivos ao longo do romance A Estrada, de Cormac McCarthy, outro livro que apareceu por aqui algumas vezes. Se entendi direito, alguns se destacam: old, long, gray, dead, dark, cold, black. Pruma história do fim do mundo, faz todo o sentido. Para ver melhor, clique com botão direito do mouse, abra a imagem numa nova aba e dê um zoom. [Via biblioklept]

Leituras coloridas

A artista inglesa Jaz Parkinson deu de fazer representações gráficas, coloridas, de narrativas clássicas. Funciona assim: ela diz que cada vez que uma passagem da história “evoca uma cor em sua mente”, esta vai para uma planilha, depois para um gráfico. O resultado, define, é uma “assinatura” única para cada obra – uma leitura transformada em espectro de cor. São dez os livros colorizados, entre eles O Apocalipse, de João; Ratos e Homens, de John Steinbeck; Laranja Mecânica, de Anthony Burgess; A Estrada, de Cormac McCarthy; Alice nos País das Maravilhas, de Lewis Carroll. Para quem se interessar, prints estão à venda Leia mais …

Títulos alternativos reloaded

Mais rápida que eu, a Josélia Aguiar fez no seu sempre ótimo blog do Painel das Letras um post sobre o Tumblr Better Book Titles. O site convida os leitores a bolar títulos que, num esforço de síntese, já sejam um resumo dos livros, com capas já alteradas e tudo. Além de resumos, aparecem trocadilhos, provocações e adaptações para os dias de hoje, sempre na gozação. Conformado com o meu atraso (é dura a concorrência…), selecionei oito deles (clique na imagem para ampliar), mas há outros no blog da Josélia e, claro, no site original. Leia mais …

Segue a vida

O mundo não acabou no fim de semana, segue a vida — que é que se vai fazer? Recorro, então, ao post de sexta passada para mostrar mais um vídeo com um início de romance em audiobook — um dos muitos que imaginam uma humanidade pós-apocalipse. Desta vez, faço questão de transcrever, abaixo, o trecho correspondente de A Estrada, de Cormac McCarthy (Alfaguara, 240 págs., R$ 39,90), na tradução de Adriana Lisboa. É o começo mesmo, mais um trechinho logo na página 3. Quando ele acordava na floresta no escuro e no frio da noite, Leia mais …

Dez livros para dez anos

Ok, acabei fazendo a minha listinha de livros da década. Não me peçam uma ordem, porque andei compilando muitos rankings no ano – e na década – e quero pular esta. No máximo, digo que meu preferido destes é Austerlitz, de W. G.  Sebald. Também não me peçam a explanação de tais e quais critérios usados, é puro gosto mesmo – daí que , também por conta disso, tenha infiltrado um livro de não-ficção aí, O Demônio do Meio-Dia, de Andrew Solomon. Dois livros, aliás, de 2001 – um ano espetacular, que teve ainda Reparação, Leia mais …