Livros reais, filmes imaginários

x x Frequentemente, estudantes de design mundo afora têm como tarefa criar aberturas de filmes fictícios, mas todas baseados em livros que ainda não ganharam uma adaptação cinematográfica. Vale usar vinhetas de estúdios de verdade e nomes de diretores, roteiristas, compositores e atores de ponta nos opening titles — não custa nada, certo? Uma pesquisa rápida no Vimeo, um dos sites em que esses trabalhos escolares costumam ser publicados, mostram alguns autores e livros favoritos da rapaziada: O Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger; Extremamente Alto & Incrivelmente Perto, de Jonathan Safran Leia mais …

Aberturas alternativas para filmes

x Tempos atrás, publiquei uma série de aberturas de filmes fictícios, todos baseados em livros reais – a maioria, trabalhos escolares. Uma outra vertente são as aberturas alternativas de adaptações cinematográficas que já existem, também feitas por estudantes de design que, desta feita, não podem escolher a direção e o elenco ideais. Uma brincadeira a menos, mas continua sendo um exercício bacana. Por pura coincidência, os três autores adaptados acima são britânicos: George Orwell, autor de 1984, adaptado para o cinema por Michael Radford (a melhor abertura das três); Lewis Carroll, de Alice no País das Maravilhas, na Leia mais …

Abertura de um filme e 15 capas para Murakami

Já faz uns meses que o escritor japonês Haruki Murakami lidera as apostas para o Nobel de Literatura. Amanhã, quinta-feira, saberemos se os bookmakers da Ladbrokes andam bem informados sobre o que se passa na Academia Sueca. Na contabilidade do site de apostas, Murakami está – no momento em que escrevo este post – com 66% de chances de levar o caneco, e por isso vai pagar 1,5 libras por cada uma empenhada pelo apostador em caso de vitória. Mas não é fácil assim. Próximo está o húngaro Peter Nadas, que cresceu nos últimos dias e está Leia mais …