Como era gostoso o nosso cinema

aaa

Ainda navegando no site da Cinemateca Brasileira, fui para o acervo de cartazes de filmes — existem bem uns 500 digitalizados lá. Os famosos — como o círculo do sol emuldorando o Corisco de Othon Bastos em Deus e o Diabo na Terra do Sol — estão lá, naturalmente, mas os mais interessantes são de filmes bem menos conhecidos. Selecionei os quatro acima, a respeito dos quais (na ordem, no sentido habitual) comento:

  1. O clima noir por todos os lados: dólares, ombro nu de mulher de meias pretas, revólver, ladrão abrindo cofre com maçarico e até uma garrafa quebrada com arma. Para chamar a atenção, os produtores quiseram apostar na quantidade de títulos bombásticos e, digamos, na comunicação direta com o  público: “Vocês esperavam…” e “vocês não podem perder”. O duro é que esse filme de 1956 nem o IMDB registra.
  2. Tem algo lusitano no título dessa “super produção nacional” de 1960, com Paulo Goulart no elenco. Quando assistimos pela primeira vez, por exemplo, a Os Doze Condenados, não sabemos se todos sobreviveram. Isto é, se voltaram.
  3. O ilustrador anônimo do cartaz desse filme de 1949, com Alselmo Duarte e Eliana, não quis correr nenhum risco de ser mal-compreendido pelo público: se a questão é a sombra da outra, é melhor desenhá-la para não restar nenhuma dúvida.
  4. Achei esse bem sinistro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.