Cultura é uma caixinha de surpresas

Está chegando às livrarias O Pai dos Burros – Dicionário de Lugares-comuns e Frases Feitas, de Humberto Werneck (Arquipélago Editorial, 216 págs., R$ 29). O título já traz um exemplo do conteúdo, que reúne frases colecionadas pelo autor ao longo de quatro décadas de jornalismo. Como se fosse, diz Humberto na introdução, “antiborboletas”: coisas que um dia foram lindas, mas que, de tanto usadas e desgastadas, regrediram à condição de lagartas.

Em uma olhada rápida, pesquei dez dessas pragas que assolam o jornalismo cultural. Algumas, devo confessar, eu mesmo já usei. De outras nem passei perto:

  1. Arquitetura arrojada
  2. Crítica contundente
  3. Não poupar críticas
  4. Desfecho trágico
  5. Efervescência cultural
  6. Esbanjar talento
  7. Era de ouro
  8. Sonora vaia
  9. A plateia vir abaixo
  10. Levar a plateia ao delírio

Não é fácil, certo, mas pode-se achar algum consolo quando se vê o que acontece em outros lugares. No jornalismo esportivo, por exemplo. No ludopédio estão as melhores lagartas, e algumas coisas são tão idiotas que ficam engraçadas. Depois de alguma indecisão entre tantas opções, cheguei a essas dez:

  1. Balançar a roseira
  2. Imprimir velocidade ao ataque
  3. Jogar no sacrifício
  4. Soltar um canudo
  5. Drible desconcertante
  6. Arrancar um empate
  7. Futebol é bola na rede
  8. O jogo só acaba quando termina
  9. O juiz ergue os braços
  10. Tem dias em que nada dá certo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.