Literatura que vira música

x
x

Para começar a semana, escolha uma – ou mais – das seis músicas. São bem diferentes, mas todas têm em comum o fato de terem sido inspiradas por textos literários. Existem outras, que postarei adiante.

Acima, na ordem: 1) O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë (Lua de Papel, 200 págs., R$ 29,90); 2) O Estrangeiro, de Albert Camus (Record, 126 págs., 32,90); 3) O Barril do Amontillado, de Edgar Allan Poe, em Histórias Extraordinárias (Companhia de Bolso, 272 págs., R$ 21); 4) Viagem ao Centro da Terra, de Julio Verne (Melhoramentos, 128 págs., R$ 27). Abaixo, 1) O Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger (Editora do Autor, 208 págs., R$ 56), e 2) Atrocity Exhibition, de J. G. Ballard (Harper Trade UK, 176 págs. R$ 24,13)

x

(Publicado em 26/4/2010)

2 Replies to “Literatura que vira música”

  1. “Faltou” é palavra triste e recurso de trolls. Mas me ocorreram “Paranoid Android” (Radiohead) e “Don’t Panic” (Cold Play) que referenciam à obra do Douglas Adams.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.